Copy
View this email in your browser
Banner Faísca
Temporada 4 — Episódio 1 de 26

Chegamos, passarada: abram alas para a Temporada 4! E sabe do que a gente estava com saudades? Carnav... digo, experimentação de formato! Nestas faíscas investigativas, humor e tragédia se misturam com um temperinho de casa.

Abaixo de cada faísca, você encontra uma ferramenta para atribuir nota ao que leu. Ao fim da temporada de seis meses, os textos mais bem avaliados serão cotados à tradução para o inglês — we also want to spark abroad! Pedimos que você avalie as faíscas recebidas — além de ajudar na classificação, a gente sabe que não está trovejando para o vazio. Aproveite também as notas autorais e as pequenas biografias após os textos para conhecer e interagir com esse pessoal talentoso. Boa tempestade de histórias pra você!

Ei, psiu: recebeu nossa newsletter através de um amigo? Que tal assinar e receber nossas faisquinhas direto no seu e-mail? Clica aqui! :) 

 

Operação Tira o Pé do Chão

Carol Vidal
 

 

Diário de investigação — Transcrição do áudio número 10

Caso 010333: Operação Tira o Pé do Chão

Investigadora autônoma responsável: Vanessa Gomes

 

Resumo: No dia 1º de março de 2033, na cidade de Salvador, estado da Bahia, capital rotativa da República do Cuscuz, um cidadão de codinome Pérola Negra foi avistado utilizando um artefato mágico conhecido como “Eu falei Faraó”, fazendo com que pessoas repetissem frases contra a sua vontade. O fato gerou tumulto na passagem do trio elétrico do bloco Haja Amor, que fecha os festejos carnavalescos da cidade. O cidadão, ainda desaparecido, infringiu o artigo 7º da Lei Emergencial para a Regulamentação de Objetos Localizados Enfeitiçados ou Sob Regência Onírica (Lero-Lero) que proíbe o uso de artefatos para coação ou atos violentos.

 

Transcrição: 

(Vanessa) Hoje é dia 10 de março de 2033, e eu não aguento mais essa patacoada. Já rodei a zorra dessa cidade toda e nem sinal de Pérola Negra. A boa notícia é que nenhum incidente parecido ocorreu nos últimos dias, então, onde quer que esse abestalhado esteja, arrumou coisa melhor pra fazer do que ficar mandando ozôto falar o que não quer. Conversei com uns conhecidos do suspeito que foram mais inúteis que guarda-chuva em dia de tempestade. Mas, de qualquer forma, no Anexo 1 deste relatório, há a transcrição dos depoimentos. 

(Vanessa) No momento, procuro novas linhas investigativas para dar prosseguimento à apuração do caso enquanto o pedido de arquivamento protocolado por mim não é aceito pelos presidentes Josenildo, Geraldinho e Elimar, que se encontram no interior do estado participando de um festival de forró. Resumindo: os bonitos estão por aí tocando sanfona, zabumba e triângulo, e eu tô presa num beco apertado e escuro enquanto o trio do Chiclete com Banana passa e arrasta tudo o que encontra pela frente. Mais paralisada que o trânsito na Paralela em horário de rush. Enfim.

(Suspiro) 

(Interferência no áudio — vozes não identificadas são ouvidas ao fundo)

(Vanessa) Já tô cansada dessa discussão — pode usar magia, não pode usar magia. Toda investigação é isso agora. Chega de repressão, sabe? Já são nove anos da emancipação do Nordeste. Deixa o povo aproveitar em paz. Eu deveria estar trabalhando em coisas mais importantes em vez dessas baboseiras. 

(Chiado)

(Voz masculina) Oi, oi. Tá gravando? Deve tá. É… (Interferência no áudio) É o quê, Nessinha? Diz aqui perto do gravador pro povo ouvir.

(Vanessa) Pérola Negra é inofensivo e só tá liberando as amarras do povo. Tem que ajudar a se soltar, sabe? Falar o que pensa sem medo. Eu mesma cansei dessa investigação. Quero paz, tranquilidade e sossego. Vamo ser feliz, meu povo!

(Silêncio)

(Vanessa) O que tá acont…? (Interferência no áudio) …fez comigo, seu abestalhado?

(Sons de música)

(Vanessa) Vamo dançar!

 

Nota da transcritora: A investigadora Vanessa Gomes foi temporariamente afastada de suas funções laborais após a gravação desse áudio. Ela pode ser vista andando pelas ruas de Salvador “espalhando a magia do amor”. Não se sabe se os danos serão permanentes.

*

Notas Autorais: Este texto surgiu durante um exercício do Clube de Escrita da Revista Mafagafo. O prompt era um texto que se passasse em um universo secundário. E assim explorei esse meu Nordeste mágico, que se separou do Brasil e que se chama República do Cuscuz. Esta ficção relâmpago foi um primeiro passo para o que pretendo vir a ser um universo bem maior.
 

Carol Vidal é uma mulher de pele clara, com cabelos escuros e ondulados que descem até seus ombros. Ela tem olhos escuros e está usando óculos. Carol está sorrindo para a foto, usando uma blusa branca e contra uma parede azul.

Carol Vidal é carioca e mora em Salvador. A paixão pelas palavras a fez estudar jornalismo, mas seu coração bate mesmo é pela literatura. Lançou de forma independente as obras Raízes de fogo e Para onde vamos hoje?, além de ter contos publicados em revistas e antologias, como Farras fantásticas (em produção). Escreve resenhas literárias nos sites Leitor Cabuloso e Revista Subjetiva e é podcaster no Boteco dos Versados e Leia Novos BR.

Twitter: @carolvidal_
Obras: amazon.com.br/kindle-dbs/entity/author/B08775QZK4

Newsletter: tinyletter.com/carolvidal_
Instagram: @carolvidal_


Que nota você daria para "Operação Tira o Pé do Chão"? Seu voto é muito importante!


lowest 1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   highest
Sorry, voting is closed.

 
 

A novidade

Victoria V.
 

 

Folha da Manhã, 31 de outubro de 19XX
 

ACONTECIMENTO SOBRENATURAL ABALA A ROTINA DE MORADORES DE SÃO SEBASTIÃO DA BOA VIAGEM

Chegada de sereia à Praia da Estrela causa agitação.

 

O sol ainda não havia nascido quando Santiago, oitenta anos, um dos pescadores da Praia da Estrela, deparou-se com uma grande aglomeração à beira-mar, incomum àquela hora da manhã. A razão, seu Santiago logo descobriu, era uma visita inesperada: uma bela sereia descansava sobre os rochedos perto da praia, atraindo a atenção dos moradores de São Sebastião da Boa Viagem — a maioria deles conhecia a fama da cidade de atrair criaturas fantásticas somente pelas histórias dos mais velhos, e não é de se espantar que a aparição tenha virado a rotina pacata da região de ponta-cabeça.

Nossa repórter Andreza Souza conta, em primeira mão, os detalhes da situação que vem se desenhando na Praia da Estrela: de um lado estão os jovens boêmios da cidade, que, voltando de uma noite de poesia regada a vinho e absinto, depararam-se com a sereia — que estão dispostos a defender a qualquer custo. Do outro, estão os pescadores que, como seu Santiago, foram surpreendidos pela movimentação. Eles pedem a retirada imediata dos jovens da praia — e alguns, como conta a nossa reportagem, chegam a exigir a repartição da cauda da sereia devido à escassez de peixes enfrentada nos últimos meses (página 07).

A sereia não quis conceder entrevista.

 

Continua nas páginas 07-11

SEREIA: MULHER OU PEIXE? • ASSOCIAÇÃO DE PESCADORES PEDE A DIVISÃO DA CARNE DA CAUDA ENTRE AS FAMÍLIAS: JUSTIÇA SOCIAL OU COMUNISMO? •  RELEMBRE AS ÚLTIMAS APARIÇÕES DE CRIATURAS FANTÁSTICAS NA CIDADE: DO EXORCISMO DO EX-PREFEITO AO ATAQUE DE CHUPA-CABRAS • O ESQUEMA DE SEGURANÇA MONTADO PELA GUARDA MUNICIPAL • E MAIS

 

*

 

Suplemento da Rua do Sol, 01 de novembro de 19XX: edição extraordinária 

 

EXCLUSIVO: NOVOS OLHARES SOBRE A POLÊMICA DA SEMANA

Desde a madrugada de ontem, a cidade de São Sebastião da Boa Viagem está mobilizada em torno da chegada da sereia à Praia da Estrela. O Suplemento da Rua do Sol conseguiu, em primeira mão, relatos dos principais envolvidos no caso.

 

SEU NINO, LÍDER DA ASSOCIAÇÃO DE PESCADORES: 

Já vou pra mais de trinta dias sem pescar nada, e logo agora que apareceu esse peixão na nossa praia tão querendo tirar ele da gente. Esse povo não sabe o que é ter cinco filhos passando fome. Tenha dó! Por mim, a tal da sereia aí já tinha virado churrasquinho desde ontem. 

 

AMANTE DA SEREIA (POETA ANÔNIMO): 

Uma rainha, uma deusa ancorou no porto da nossa paradisíaca Praia da Estrela, e o primeiro pensamento é matá-la para comer a carne de sua cauda? Um absurdo! Nossa sociedade é tão ignorante que não consegue perceber o milagre que nos foi concedido. Desde que a sereia me tomou como seu amante, sinto-me no paraíso, sinto que minh’alma canta de felicidade. Finalmente estou em comunhão com a Arte e hei de derramar meu sangue e entregar minha vida para defender a minha musa, se assim for preciso. 

 

PASTOR OTÁVIO:

É evidente que a “sereia” é, na verdade, uma enviada do Demônio para enfeitiçar nossos homens e destruir nossas famílias. A escassez de peixes já era um sinal para esta cidade cheia de pecados, e agora nos deparamos com uma tentação ainda maior. Em nome do Senhor, precisamos queimá-la e benzer o local para garantir a segurança da nossa comunidade. Que Ele tenha piedade de nós!

*

 

Correio da Tarde, 02 de novembro de 19XX

 

DESTINO DA SEREIA CAUSA POLÊMICA ENTRE MORADORES DE SÃO SEBASTIÃO DA BOA VIAGEM

Morte da sereia: necessidade ou assassinato? Reportagem especial do Correio da Tarde procurou os envolvidos no caso, que pode acabar na Justiça.

 

As areias claras da Praia da Estrela amanheceram manchadas de sangue. A polêmica levantada pela chegada da sereia, que transformou nossa pacata cidade em um verdadeiro campo de batalha, chegou a um final trágico: a criatura foi despedaçada em uma briga entre seus admiradores e as famílias dos pescadores.

O líder do movimento em defesa da sereia, um jovem poeta que se diz seu amante, não quis ser identificado e nem foi encontrado pela nossa reportagem, mas fontes próximas a ele afirmam que o poeta está inconsolável e que “vai exigir que a Justiça seja cumprida”. Procuramos a advogada Inês da Costa, especialista em casos envolvendo entidades fantásticas, e ela nos explicou as contradições da situação. “É um caso inédito que vai demandar muito estudo”, ela afirma (página 04)

Enquanto as providências estão sendo tomadas, Santiago, oitenta anos, um dos pescadores entrevistados, resume: “Se tá certo ou errado eu não sei, moço, mas que a janta de ontem tava boa… ô, se tava!”.  

 

Continua nas páginas 03-08

RECONSTITUIÇÃO DO CONFRONTO NA MADRUGADA • A OPINIÃO DO PASTOR OTÁVIO SOBRE A “CRIATURA DO MAL” • ERGUER UMA ESTÁTUA DA SEREIA É AFRONTA OU HOMENAGEM? • CARTA ABERTA DO PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS PESCADORES: “QUERIA VER ESSES VIDA-BOA, SEM NADA PRA FAZER, PASSAR UM DIA NO MAR PROCURANDO PEIXE” • CARTA ABERTA DO AMANTE DA SEREIA: “É POR ISSO QUE ESSE PAÍS ESTÁ NO BURACO!” • O FRACASSO DA GUARDA MUNICIPAL EM MANTER A ORDEM NA PRAIA DA ESTRELA: NEGLIGÊNCIA OU CONIVÊNCIA? • E MAIS
 

*

Notas Autorais: Uma das mil razões pelas quais eu amo a música brasileira é que algumas letras são verdadeiras histórias. Espero que esta faísca tenha feito justiça a uma das minhas canções preferidas.

 

Victoria V. está representada por uma ilustração de seu rosto contra um fundo amarelo. Ela tem a pele branca, olhos e cabelos castanhos, cacheados e presos em dois coques laterais. Elas está sorrindo e usando uma camisa de gola alta branca.

Victoria é uma belo-horizontina que sempre foi apaixonada por todos os tipos de história desde que se entende por gente — e que, de vez em quando, gosta de contar as suas. Já colocou alguns textos no mundo, em português e em inglês, e cuida do seu ninho de ideias mirabolantes quando a faculdade permite. 

Twitter: @vicvtl
Tumblr: victoriav.tumblr.com


Que nota você daria para "A novidade"? Seu voto é muito importante!


lowest 1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   highest
Sorry, voting is closed.

 
Banner Faísca
No próximo episódio: advogados e indústrias. Não perca! 
Copyright © 2021

You can update your preferences or unsubscribe from this list.

Email Marketing Powered by Mailchimp