Copy
Amados irmãos, graça e paz!   A foto acima é um final de tarde visto do nosso apartamento.

Irmãos, damos graças a Deus por tudo que recordamos de vocês, e oramos com freqüência e alegremente, intercedendo por vocês e agradecendo pela vossa cooperação no evangelho aqui em Moçambique desde que saímos do Brasil até agora (paráfrase minha, de Filipenses 1.3-5).

É sempre uma grande alegria compartilhar com vocês o que Deus tem feito através desta parceria entre Igrejas no Brasil, missionários Roberto e Deila, o IBS e igrejas de Moçambique.

Como estamos - Deila e eu somos muito gratos a Deus pelo privilégio de servir ao Senhor aqui, e temos muita convicção e paz a respeito disso. Deus tem nos amparado de todas as formas, não nos tem faltado nada, e a cada dia que passa vamos nos sentindo mais “em casa”. Algo que está ajudando foi a aquisição de um veículo de duas rodas, com 49cc, cor vermelha, marca Zongshen! De onde será? Mas, é uma bênção. A gente acelera, acelera e ela chega até 60km/h!!! Assim os anjos terão menos trabalho para cuidar de nós! O trânsito aqui é mão inglesa, caótico, o que requer atenção redobrada, mas já estou me acostumando.  Com ela vamos ao IBS, mercado, igreja, banco, visitar irmãos, e até dar um role na avenida beira mar!   
As fotos abaixo, são dos nossos dias no Buzi.

 
O templo atual, mas já tem terreno e material para construir outro.
Pr. Daniel e família, com alguns membros da igreja.
Indo prá machamba (roça), com o pastor Daniel e irmã Graça.
Reunião com as mulheres na casa do pastor.
Visita da igreja a uma irmã enferma. Todo mundo participa!
Classe de Escola dominical das crianças, embaixo da árvore.
NOSSO TEMPO NO BUZI - Como parte do nosso aprendizado da língua e cultura a missão agendou a estadia com uma família moçambicana que mora no interior, distrito de Buzi – umas 5 horas de chapa (van). Nós passamos quase uma semana com Pr. Daniel Bai-Bai, sua esposa Graça, 2 filhas, 2 filhos, uma menina órfã, e uma adolescente, filha de um pastor amigo, que está passando um ano com eles. Já fizeram a conta? Sim, éramos 10 pessoas na casa pequena e muito simples. O pastor e esposa têm algumas machambas (pedaços de terra nos quais plantam arroz), vendem geladinho, bolinhos e bananas que produzem no quintal para subsistência.  Além disso, o casal pastoral tem intensa atividade no cuidado com a igreja, pregando, discipulando, visitando pessoas (muitos enfermos HIV e outras coisas). A igreja é pequena, mas o desafio evangelístico na vila de Búzi é grande. O que mais nos marcou foi ver tantos jovens e adolescentes sem nada para fazer (desemprego), muitos envolvidos com alcoolismo e alto índice de gravidez na adolescência. Quem consegue terminar o ensino médio está numa boa posição, mas geralmente não consegue entrar numa faculdade porque não atinge as notas necessárias, devido à má qualidade do ensino. Avançamos um pouco na língua Cindao também. Deila pregou no culto de sábado à noite, e eu domingo pela manhã. No sábado à tarde fomos visitar outra pequena igreja, numa localidade próxima. Esta, por enquanto, se reúne debaixo de uma árvore, mas já levantou a estrutura do templo com material local (troncos e galhos, que serão fechados com varas, depois “rebocadas” com barro e coberta de palha). É muito bom ver o esforço destes irmãos fazendo a obra de Deus com recursos locais, fugindo assim da dependência de fundos estrangeiros, prática de muitos anos por aqui. A hospitalidade da família do pastor nos constrangeu. Sempre perguntando do que gostávamos e procuravam fazer. Creio que eles deram para nós o que eles raramente comem. Aprendemos muito sobre generosidade, amor às pessoas, e ao Senhor.
Algo que nos impacta aqui é a simplicidade da maioria das igrejas. De repente, você se reúne com irmãos debaixo de uma árvore, começam a louvar a Deus, orar, compartilhar o que Deus tem feito, meditamos na Palavra, temos comunhão e Deus se manifesta de maneira muito especial. 
Encontro para celebrar o dia da mulher moçambicana: 7/abr
Pregando na plantação da igreja, com pr. Nhanzeze.
Deila ministrou na conferência missionária para mulheres.
Nosso ministério - Temos recebido convites para visitar outras igrejas que outros missionários cooperam. Assim vamos tendo uma visão mais ampla das igrejas aqui na Beira. E creiam, há uma imensa variedade de igrejas! Só que visitar uma igreja, geralmente significa que eu devo pregar! Tenho que ser simples (sem ser superficial), nada de ideias muito abstratas e aplicar a Palavra dentro do contexto da vida diária deles, que ainda não conheço muito bem. Portanto, estou aprendendo muito e o faço no temor do Senhor, pois é a Sua Palavra.

Deila também tem tido oportunidades de ministrar a Palavra. Uma ocasião foi a celebração do Dia da Mulher Moçambicana, dia 7 de abril, organizada pela igreja Missão Viva Esperança em Cristo. É um feriado nacional muito importante. A inspiração desse dia vem de Josina Machel que foi uma mulher notável, participando inclusive da luta armada pela libertação de Moçambique. As mulheres cristãs passam o dia juntas, tendo comunhão, recreação e aprendendo mais sobre o que a Palavra ensina à mulher cristã.  Outra oportunidade muito especial foi ministrar sobre o papel da mulher em missões, numa conferência missionária organizada pela Igreja Nova Aliança de Jesus Hebreus 8.8. Havia 82 mulheres que pagaram sua inscrição. Isso é algo inédito aqui. Mas, Deus está começando a despertar as mulheres para a obra missionária! 

Nos dias 1 e 2  de maio a nossa igreja daqui vai organizar um seminário para pais, algo raro por aqui. O pastor João A. Mambocha convidou-nos para ministrar a Palavra no sábado, sobre o lugar dos pais no reino de Deus. Troquei uma idéia com o pastor, e percebi que temos muita coisa em comum na compreensão do tema, o que nos fez aceitar o convite. Mas, dependemos inteiramente da boa mão do Senhor sobre nós! Orem por favor.
Com relação ao Seminário (IBS), continuamos reunindo-nos como equipe missionária buscando a direção do Senhor sobre como podemos melhor servir a Igreja Moçambicana. Temos muitos desafios e o maior no momento é a falta de um diretor, mas temos visto avanços no envolvimento dos irmãos moçambicanos que fazem parte do conselho do IBS. Eu estou procurando participar da capela dirigida pelos alunos nas quartas-feiras, e cada semana assistir aula de um professor diferente. Na semana passada tive o privilégio de compartilhar a Palavra na capela, pela primeira vez. Foi uma experiência ímpar, onde senti muito claramente a presença de Deus. Tem sido muito bom conhecer os alunos (muitos já são pastores) e os colegas docentes.  Além disso, Deila e eu estamos estudando as disciplinas que ensinaremos  no próximo semestre. Foto abaixo - um seminário para líderes há poucos dias.

Concluindo...algo que temos percebido com muita clareza aqui é o agir de Deus em nossas vidas. Cremos firmemente que isso passa pelas orações regulares e fervorosas dos nossos amados irmãos e igrejas ai no Brasil. Quão grande é a sabedoria de Deus em ordenar que seu povo pregue o evangelho, mas prover-nos com os recursos da Palavra, da oração, da contribuição, do poder, consolo e direção do Seu Espírito!
Recebam nosso abraço fraterno e nossa gratidão, por causa daquele que fez todas as coisas para o louvor da Sua glória.
Com amor, vossos missionários Roberto e Deila.

Orem, oremos, perseveremos na oração:
- Louvem a Deus pelo agir maravilhoso e bondoso sobre nossas vidas (adaptação, bons relacionamentos, saúde, privilégio de servi-Lo, meio de transporte.. hehe).
- Intercedam pela nossa comunhão diária com Deus, por disciplina para organizar o tempo dentro das prioridades deste momento: estudar língua Cindao, fazer as tarefas do período de adaptação, e preparar as aulas para o semestre que vem.
- Por proteção em todos os sentidos, mas especialmente no trânsito muito africano por aqui.
- Pela vida espiritual, emocional e profissional dos nossos filhos no Brasil.
- Orem pelos povos não alcançados de Moçambique e do Continente africano.
- Orem pelo crescimento e amadurecimento bíblico, teológico e missionário dos líderes das Igrejas Evangélicas de Moçambique.
- Orem pelas crianças, jovens e adolescentes (45% da população tem menos de 15 anos), com poucas perspectivas de vida, mas muitas oportunidades para pecar.
Um breve alô de vocês já alegraria muito nossos corações!! 
e-mail: rrwelzel2000@yahoo.com ou deila_n_s@hotmail.com
skype: rrwelzel2000 
www.facebook.com/roberto.welzel

Caso você ou sua igreja queiram tornar-se parceiros ou fazer uma contribuição única ao Projeto Moçambique podem fazê-lo através da AMEL - Associação Missionária Evangélica Livre (Bradesco, ag. 450, cc 134.934-1, código 4, ou seja, acrescente R$ 4,00 ao valor da sua oferta - CNPJ 004760938/0001-60) ou através da MIAF pelo site www.miaf.org.br na janela "como participar-contribuindo-família Welzel".



unsubscribe from this list    update subscription preferences