Copy
PROJETO MOÇAMBIQUE - Últimas notícias!
View this email in your browser
Amados irmãos, graça e paz!    Beira (foto acima), março/2105.
“Kwari veshe vari muRoma vanodikanwa ndiMwari, vakadaidzwa kuita vakachenswa: Nyasha kwomuri  nokunyarara kunobva kunaMwari Baba wedu naMambo Jesu Kristu” (Rm 1.7 – em Chindau).  “A todos os amados de Deus, que estais em Roma, chamados para serdes santos, graça a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo” (Rm1.7).

Grande é nossa alegria em poder compartilhar com vocês o que Deus tem feito nestes quase 30 dias que estamos em Moçambique. Temos experimentado a graça e bondade de Deus de forma maravilhosa, o que certamente tem a ver com as orações de cada um de vocês.
Recepção – Fomos muito bem recebidos no dia 13 de fevereiro pelos missionários que já labutam aqui há alguns anos, o que tem tornado a chegada mais suave. Encontramo-nos uma vez por semana para um tempo de oração e comunhão o que tem sido muito encorajador. Além disso, os irmãos da igreja que frequentaremos nos receberam “oficialmente” no domingo, no culto da manhã e com um delicioso almoço após.
Adaptação – Ainda estamos vivendo o que os missionários chamam  de “lua de mel” com o lugar, ou seja, tudo é novo e interessante, mas também estamos sentindo as diferenças: o calor intenso e úmido dá uma canseira na gente! Os meios de transporte: usamos chapa (vans) lotadas, ou tchopelas (uma espécie de moto coberta, que  leva 3 pessoas (ou quantas você imaginar!) e nalguns casos vamos a pé mesmo, o que não deixa de ser uma excelente maneira de conhecer pessoas e lugares, além de exercitar o corpo! Para fazer nossa compras há 3 supermercados (caros), e muitas bancas nas calçadas que vendem de tudo: roupa, calçados,  frutas, verduras, peixe, camarão, etc. Muitas mulheres que cultivam a sua machamba (roça) e vendem seus produtos no mercado informal como meio de subsistência. A vida é muito dura para a grande maioria das pessoas.
Processo de entrada – A MIAF tem como política que cada missionário que chega deve ser acompanhado por um semestre e passa por um processo de “entrada”, o que inclui leituras, aprendizado da língua e cultura local com várias tarefas práticas: passar uma semana morando com uma família moçambicana, fazendo o que eles fazem (faremos isso semana que vem); participar de um casamento, funeral, etc.  Temos um casal de orientadores com o qual nos encontramos semanalmente para tratar dos assuntos e compartilhar nossos avanços e dificuldades. Isso significa que começaremos a dar aulas somente no próximo semestre. Esta semana tivemos um intensivo sobre metodologia de aquisição de língua e começamos a estudar a língua cindau, falada pelo povo Ndau, que é a língua predominante em nossa igreja. É uma longa jornada, mas estamos animados e contamos com vossas orações!
O que estamos fazendo -  Estamos participando das reuniões da equipe de missionários que servem no Instituto Bíblico de Sofala (IBS), planejando as atividades do próximo semestre, mas também orando e discutindo a visão da equipe e como melhor podemos servir a igreja moçambicana, através do IBS.  Deila e eu já recebemos algumas disciplinas que ensinaremos no próximo semestre e também começamos a trabalhar nisso.  Além disso, iremos assistir aulas de outros professores para conhecer diferentes estilos e didáticas e também para ter contato com os alunos. Isso sempre é encorajador, pois eles são muito receptivos, calorosos e relacionais.  Na igreja, estamos começando devagar, participando dos cultos e vendo como poderemos servir. Como a igreja é próxima da nossa casa vamos a pé, mas a rua fica alagada nalguns pontos! (FOTO).  Deila começou a participar do Projeto Pro-Ide (Programa Integral de Desenvolvimento),  com a missionária Maura Juçá e algumas viúvas que estão organizando uma associação para produzir e comercializar artesanato, desenvolver habilidades, etc.  A situação das viúvas aqui é de extrema vulnerabilidade. As mulheres receberam Deila com uma linda festa ao estilo moçambicano: muita música, dança e generosidade. A pobreza aqui é algo que nos choca, porém, a perseverança e alegria do povo nos encorajam.
Onde Estamos morando? Num apartamento antigo, construído pelos portugueses, mas espaçoso. Obviamente estava vazio, e já conseguimos colocar o mínimo para viver nele: cama, fogão, geladeira,  mesa e máquina de lavar roupa! A Deila tem feito um excelente trabalho de dar a ele uma cara de lar, fazendo cortinas para os armários da cozinha, dos quartos e banheiro. Também compramos algumas esteiras que são usadas no chão da sala para as pessoas sentarem ou deixar as crianças. Este geralmente é o berçário no fundo do templo das igrejas: esteiras com as mães e seus filhos.
Acho que está na hora de encerrar a carta/livro! Amados, temos a convicção de que Deus nos trouxe até aqui e aqui permaneceremos até quando Ele assim o desejar. Temos profunda gratidão em nossos corações pelo privilégio de servir a Deus, servindo a Sua igreja em Moçambique, através do envio da IEL Toledo e tantas outras igrejas parceiras.  Obrigado pelo vosso apoio através das orações, contribuições e contato.
Nossos Motivos de oração: Louvem a Deus conosco por Sua fiel provisão espiritual, física e material; Agradeça a Deus pela nossa chegada e início abençoados;  Orem por nossa adaptação e aprendizado da língua; Orem pela equipe do IBS: visão e direção do Senhor;  pela nossa saúde física, mental e espiritual; pela provisão financeira (o custo de vida aqui é caro e o dólar não ajuda!)
Em Cristo e juntos pelo Seu Reino em Moçambique,
Roberto e Deila Welzel.

 

Need inspiration for your design? Here’s what other MailChimp users are doing.

Designing Your Email

Creating an elegant email is simple

Now that you’ve selected a template to work with, drag in content blocks to define the structure of your message. Don’t worry, you can always delete or rearrange blocks as needed. Then click “Design” to define fonts, colors, and styles.

Need inspiration for your design? Here’s what other MailChimp users are doing.

Uma visão externa do nosso apartamento, que é o último ( o da grade branca).
Este foi o banquete que os irmãos da igreja ofereceram para nos receber. 
Uma foto do culto em que fomos recebidos pela igreja. Agora já não somos visitantes!
Este é o mercado informal onde muitas mulheres vendem o que produzem na sua roça.
Época de chuva fica assim o caminho da nossa casa para igreja.
Esta é a tchopela, muito comum por aqui, mas já custa mais caro que a chapa (vans): em torno de R$ 5,00 a viagem.
Copyright © 2015 Roberto e Deila Welzel, All rights reserved.
Caso você ou sua igreja queiram tornar-se parceiros ou fazer uma contribuição única ao Projeto Moçambique podem fazê-lo através da AMEL - Associação Missionária Evangélica Livre (Bradesco, ag. 450, cc 134.934-1, código 4, ou seja, acrescente R$ 4,00 ao valor da sua oferta - CNPJ 004760938/0001-60) ou através da MIAF pelo site www.miaf.org.br na janela "como participar-contribuindo-família Welzel".

Nossos contatos (um breve alô de vocês já alegraria muito nossos corações!):
e-mail: rrwelzel2000@yahoo.com   ou  deila_n_s@hotmail.com
skype: rrwelzel2000 
www.facebook.com/roberto.welzel


unsubscribe from this list    update subscription preferences 

Email Marketing Powered by Mailchimp